Top of the World

I’m at the top of the world. At least what I was told is the highest restaurant in Australia, The Eagle’s Nest, after taking the Kosciuszko Express lift in Thredbo. It definitely feels like the top of the world.Since my legs aren’t very happy to ski this morning, I have decided to come to do something else I love doing…

Eagles Nest

I came to the mountains to ski, but my very-advanced-beginners level is letting me down today and I’m not even reaching an intermediate-beginners level. I feel tired with muscles screaming. It might be because I’m not very fit this year or maybe it has to do with sharing a room with 4 people, who took forever to go to bed yesterday, after a long drive from Sydney meaning I went to sleep almost 3am. Then a $ˆ#ing phone rang three times between then and 5am. The very unconsidered person did not turn the phone off even after I asked her to.

It is difficult to go back to sleep because you keep thinking “in which world, does this person thinks this is okay?” We all had to wake up early to get breakfast, ski gear and passes, before seven I was up with a headache. I’ve upgraded for tonight to a very single, wonderful, phone-ringing-and-conversation free room.

I have decided to make the best of it, and here I am looking out, seeing brown mountains contrasting with very white snow. Rocks that look like dinosaur droppings, but pretty nonetheless.
I just heard one of the waitresses talking to the other:

‘Did you bring your board?’

‘Yeah’

‘When you finish do you wanna go down?’

Meaning, after work they snow-board mountain down. How cool is that?


Like one of my gurus say, this is living the life of my dreams to the degree that I can.

It did not start as fancy stuff, it is a backpacker’s trip, but can it get any better? Writing with mountain views, eating the best wine garlic prawns ever, and knowing I will even sleep tonight?
This place has a cinnamon smell and offers hot chocolate with Baileys. Guess what I will order next?
I can say with my whole heart, head and body into it: I’m happy.

No Topo do Mundo

Estou no topo do mundo. Pelo menos me disseram que esse é o restaurante de maior altitude na Austrália. Chama-se ‘O Ninho da Águia’, ‘The Eagle’s Nest’. Cheguei aqui com o teleférico ‘Kosciuszko Express’ na montanha de Thredbo. Realmente, me sinto no alto do mundo.Como minhas pernas não estão colaborando para esquiar, resolvi fazer essa outra coisa que amo fazer…


Eu vim para as montanhas para esquiar, mas o meu nível de principiante-super-avançada não está funcionando de jeito nenhum hoje, e não estou dando conta nem de parecer principiante-nível-médio. Estou cansada com os músculos gritando de cãibra e dor. Talvez seja porque não estou muito fit esse ano, ou por ter dividido um quarto com quatro pessoas, as quais demoraram muito para ir para suas camas ontem, depois de uma longa viagem de Sydney até aqui. Acabei indo dormir quase três da manhã e fui acordada três vezes por uma $@sta de telefone antes das 5 da matina. A pessoa sem noção não desligou o telefone mesmo depois de eu pedir.

O que dificulta a gente a voltar a dormir é o pensamento “em que mundo essa pessoa acha que é okay deixar esse telefone tocando desse jeito?” Nós todos tínhamos que acordar cedo para pegar café da manhã, os equipamentos de esqui alugados e o passe dos teleféricos da montanha. Eu modifiquei minha reserva para essa noite, para um quarto só meu, sem telefones e conversas. Então resolvi tirar o melhor proveito da situação, e aqui estou, vendo as montanhas marrons, salpicadas de branco muito branco, com rochas que parecem esterco de dinossauro, mas muito bonitas mesmo assim.


Acabei de ouvir uma garçonete de cabelo vermelho falar para a outra loirinha com uma tatuagem de uma rosa ocupando metade de seu ante-braço:

– Você trouxe sua prancha?

– Trouxe.

– Vamos descer juntas depois do trabalho?

Quer dizer, quando terminarem seu turno as moças vão descer a montanha show-boarding. Muito legal né.


Como um dos meus gurus costuma dizer, isso é que é viver a vida dos seus sonhos da maneira que eu posso nesse momento. A viagem não era para ser nada chique, uma viagem de mochileiros, mas não dava para ficar melhor. Escrever com vista da montanha, comendo camarão ao vinho e alho e ainda sabendo que vou poder dormir hoje à noite, é simplesmente o máximo.

O restaurante tem cheiro de canela e oferece chocolate quente com Baileys. Adivinha o que vou pedir agora? Posso dizer, de corpo e alma, que estou feliz.